Portal da Cidade Jacarezinho

COMEMORAÇÃO

18 de fevereiro - Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo

A hereditariedade não é um fator de risco para o alcoolismo, hoje em dia, os hábitos de vida e o ambiente são fatores mais fortes.

Postado em 18/02/2020 às 07:46 |

18 de fevereiro - Dia Nacional do Combate ao Alcoolismo (Foto: Imagem ilustrativa)

0:00
0:00

Um dos principais problemas de saúde pública no Brasil, onde cerca de 15% da população é dependente do álcool, a maioria homens jovens entre 18 e 29 anos, o alcoolismo tem, em 18 de fevereiro de cada ano, a data registrada como O Dia Nacional de Combate ao Alcoolismo ou “Semana Nacional de Combate ao Alcoolismo”.

Para conhecimento, o alcoólatra é considerado aquele em que se identifica prejuízo social e pessoal em consequência do abuso da bebida, além de sinais de abstinência e dependência do álcool.

No entanto, já há algum tempo, as forças estão voltadas a tratar daqueles que possuem características de risco, ou seja, as pessoas que têm tendências a se tornarem dependentes.

Especialistas já apontam para a necessidade de coibir o surgimento de novos alcoólatras, agindo com a conscientização de indivíduos que estão numa linha bem tênue entre o alcoolismo e o “beber socialmente”, termo bastante usado por bebedores em potencial.

Uma pessoa que é alcoólatra tem uma grande dificuldade de reconhecer que é doente. A dependência psicológica é mais grave do que a orgânica, pois o organismo tem mais capacidade de se regenerar do que o cérebro.

Quanto ao tratamento para o alcoolismo, as experiências mostram que, um tratamento eficaz contra o alcoolismo pode fazer com que o paciente nunca mais volte a beber.

O doente precisa de um tratamento desintoxicante e também psicológico, para que os comportamentos mentais que o fizeram beber não se repitam. A abordagem do tratamento deve contemplar a parte física e psicológica.

A hereditariedade não é um fator de risco para o alcoolismo. Hoje em dia, os hábitos de vida são fatores mais fortes para desenvolver uma doença. O ambiente, sim, pode estimular o hábito de beber.

Se uma criança cresce em um ambiente onde os familiares bebem em excesso, ela pode ser sugestionada a beber pela observação e pelo comportamento daqueles à sua volta.

Fonte:

Deixe seu comentário