Portal da Cidade Jacarezinho

ECONOMIA

Governo do Paraná injetou quase R$ 6 bilhões na economia até o Natal

Cada um das três folhas salariais que o Estado liberou é de R$ 1,83 bilhão, para pagamento de 300 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas. [...]

Postado em 26/12/2019 às 06:09 |

Governo do Paraná injeta quase R$ 6 bilhões na economia até o Natal (Foto: Imagem ilustrativa / Google)

Entre 29 de novembro e 23 de dezembro o Governo do Estado injetou quase R$ 6 bilhões na economia paranaense. O valor se refere somente à folha de pagamentos dos servidores públicos. Por determinação do governador Carlos Massa Ratinho Junior o décimo terceiro foi antecipado para o dia 4 de novembro e os vencimentos de dezembro e o terço de férias para o dia 23. Sexta-feira (29) foi depositado o salário de novembro.

Cada um das três folhas salariais que o Estado liberou é de R$ 1,83 bilhão, para pagamento de 300 mil servidores ativos, aposentados e pensionistas. A gratificação de férias em dezembro atendeu principalmente o magistério estadual, maior quadro da administração pública do Paraná.

O governador ressaltou que a antecipação dos pagamentos ocorre em razão do cuidado com as contas públicas. “Isso só acontece graças à organização financeira do Estado, que estamos levando de uma forma muito rígida”, explicou o governador, lembrado os cortes feitos na estrutura do Estado ao longo de 2019 e também a redução nos gastos de custeio da máquina.

MOVIMENTO – A medida adotada pelo governo estadual foi bastante elogiada por diversas associações comerciais do Paraná por significar um incremento importante na economia, ajudando a gerar emprego e renda nas mais diversas regiões do Estado.

Presidente da Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), Douglas Fanchin Taques Fonseca, ressaltou, na época, que a iniciativa iria colaborar com o aumento no movimento de diversos setores, como o comercial e de serviços. 

Para ele, significou uma ótima oportunidade também para os consumidores. “Com dinheiro no bolso podem fazer melhores negócios. Um estímulo muito importante que gera bons negócios para a cadeia econômica toda”, disse. 

Rodrigo Rosalem, dirertor de planejamento e gestão da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR), reforçou o caráter social das antecipações dos pagamentos.

“Teremos um impacto muito interessante na economia, seja por um dinheiro a mais para fazer compras ou para pagar dívidas”, explicou. “Lembrando que ao usar o dinheiro extra para pagar dívidas, o consumidor volta a ter crédito para poder comprar novamente”, acrescentou.

FUNDAMENTAL – As associações de Maringá já estavam prevendo que a iniciativa do governo estadual significaria um Natal para o comércio melhor do que foi o ano passado. Estimativas apontam um aumento nas vendas na ordem de 2%.

“Há uma recuperação econômica em toda a região de Maringá, com um grande número na geração de empregos. Teremos maior giro e uma excelente perspectiva para o fim do ano”, afirmou Michel Felippe Soares, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM).

“Essa ação do Governo do Estado é de fundamental importância. Não só pelo dinheiro direto, o ativo maior em circulação, mas por mostrar que a administração do Paraná está sendo muito bem feita”, completou José Roberto Mattos, presidente do Conselho de Desenvolvimento de Maringá (Codem).

PREÇO MENOR – Presidente da Associação Comercial do Paraná (ACP), Gláucio José Geara, lembrou de outra ação tomada pelo Governo do Estado que também teve influência direta no comércio paranaense.

Segundo ele, a mudança no sistema de tributação de mais de 60 mil itens alimentícios com a retirada da Substituição Tributária e da consequente cobrança antecipada do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) terá reflexo na diminuição do preço de uma série de produtos alimentícios.

“A produção e comercialização de alimentos terá um impacto muito grande no Paraná, não tenho dúvida. A mesa do paranaense será mais farta neste fim de ano”, disse Geara. Dados da ACP indicam crescimento da economia do Estado no período na ordem de 2,8%.

Pesquisa aponta prioridades do paranaense para o 13º salário 

Pesquisa elaborada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR) apontaram que a principal destinação do 13º salário pelos paranaenses seriam para quitar dívidas: 29,3% dos entrevistados utilizariam o abono anual para saldar seus débitos. Essa parcela é menor do que no ano passado (33,3%).

Para mais de 28% dos entrevistados o recurso extra seria utilizado para compras (14,7%) e viagens (13,7%). Outra parte considerável de paranaenses (23,7%) planejava utilizar o dinheiro adicional para fazer uma reserva financeira. Por fim, 5,7% afirmaram que vão utilizar a gratificação para o pagamento de impostos e taxas.

Os que não sabiam ou não responderam somam 14,3% e os que não estão empregados e, portanto, não terão direito ao 13º salário, correspondem a 10,7% dos entrevistados.


Fonte:

Receba as notícias de Jacarezinho no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário